Relações internacionais: entenda o mercado de câmbio

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por Carlos Meira
em julho 5, 2022

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

Entenda como funciona as flutuações dos valores da moeda e como saber quando vale a pena ou não fazer esse “investimento”

Na hora de viajar para fora do país, uma das maiores preocupações das pessoas é o dinheiro que será gasto e, consequentemente, quanto o real brasileiro vale no local de destino. Essa diferença entre os valores das moedas dos países é chamado de câmbio. 

Por isso, ao trocar seu dinheiro por outra moeda estrangeira é preciso entender como o valor desse dinheiro é calculado, o que o “câmbio” tem a ver com isso e como encontrar as melhores opções para não perder dinheiro. 

Entenda o que é o câmbio, como funciona o cálculo das moedas estrangeiras e outras informações para conseguir o melhor valor. 

O que é câmbio?

“Câmbio” é o termo utilizado para definir a troca de dinheiro entre duas moedas diferentes. Por exemplo, trocar real brasileiro por dólar ou qualquer outra moeda.

Nesse processo, é levado em consideração o valor de cada moeda. Ou seja, quanto da outra moeda consigo “comprar” com o real brasileiro, por exemplo. 

Esse é um processo muito comum, principalmente para quem vai viajar, que precisa trocar o dinheiro pela moeda local do destino. As operações devem ser feitas em locais qualificados e com permissão para isso. 

Quando se troca dinheiro sem ser em locais oficiais, corre-se o risco de cair em algum tipo de golpe ou até trocar por dinheiro falso. Por isso, é sempre recomendado procurar por locais indicados ou com boa reputação.

O que muda de um local para o outro é, principalmente, a taxa de câmbio. Entretanto, o valor da moeda também pode acabar mudando. Isso é bastante comum em países com moeda mais baixa que o real brasileiro, quando os operadores vendem mais barato para atrair mais dinheiro. 

O que é taxa de câmbio?

A taxa de câmbio é a correspondência de uma moeda em relação a outra. Por exemplo, U$1 valerá cerca de R$5. Ou seja, você precisa de cinco reais para “comprar” um dólar. 

Essa taxa de câmbio pode ser fixa ou flutuante. A fixa é a definida pelo Banco Central, que visa determinar a equivalência e não perder o valor da moeda. 

A taxa de câmbio flutuante é aquela que varia conforme a oferta e a procura pela moeda que acontece no próprio mercado de câmbio. Quando há mais gente procurando a moeda estrangeira, mas tem pouca oferta, o preço sobe e a moeda fica desvalorizada e vice-versa. 

Além disso, cada casa de câmbio também cobra um valor pela transação (e muitas vezes o nome “taxa de câmbio” é utilizado para isso). Por isso, antes de trocar, é preciso encontrar o local com menor valor por serviço também. 

Como funciona o mercado de câmbio?

O mercado do câmbio é algo antigo, mas ganhou mais regulamentação depois que a taxa de câmbio flutuante passou a valer, em 1976. A partir desse momento, a moeda para câmbio variou conforme a oferta e procura, como vimos anteriormente. 

As operações de trocas de moedas são realizadas em casas de câmbio e a “negociação” é feita diretamente entre os compradores e os vendedores. É possível encontrar as casas de câmbio na maioria das cidades, principalmente nas turísticas. 

Muitas estão até mesmo dentro dos aeroportos, mas geralmente vendem a moeda em valor mais alto e com taxa de serviço maior também. Por isso, são consideradas uma última opção, para momentos de imprevistos. 

Lembre-se que essas transações só podem ocorrer por agentes autorizados. No caso do Brasil, pelo Banco Central. Em outros lugares, vale a pena pesquisar para não acabar trocando sua moeda por um dinheiro falso, um golpe comum em muitos lugares.

Quais fatores alteram o valor da moeda e do câmbio?

O valor de uma moeda varia conforme diversos fatores, desde a economia interna de um país e suas taxas de juros até a economia mundial. Por isso, comprar moeda é considerado um investimento especulativo, pois se espera que a moeda conservada valha mais na hora de ser utilizada. 

Muita gente, por exemplo, compra dólar como uma forma de investimento. Depois que a moeda valoriza, faz a troca de volta para o real. No exemplo atual, cada dólar trocado de volta para o real valeria cerca de 5 reais.  

Por isso, o câmbio flutuante, utilizado nas casas de câmbio, pode variar um pouco de local para local, mas sempre seguem um valor semelhante, pois utilizam o valor fixo como uma base do “peso” daquela moeda. 

Por isso, na hora de fazer sua troca de câmbio é preciso considerar tanto o valor da moeda a ser “comprada” quanto o valor da taxa de serviço, procurando sempre a melhor oferta. Ou seja, aquela que retorne maior quantidade de dinheiro a moeda “nova”. 

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.